(11) 99491 7079
negociarte@negociarte.com.br

O que fazer quando o colaborador perde a motivação por causa da ansiedade, raiva ou depressão?

Hoje continuarei a discussão sobre as armadilhas da motivação. A terceira armadilha ocorre quando usamos argumentos racionais para estimular a ação de uma pessoa dominada por emoções negativas tais como: ansiedade, raiva ou depressão.

Para você, a solução pode ser óbvia, mas para quem está emocionalmente afetado fica muito mais difícil aceitar sugestões, mesmo que sejam as melhores soluções para seus problemas. O véu da emoção distorce a visão do outro e, portanto, precisa ser retirado para que a pessoa possa estar receptiva aos seus argumentos.

A solução é praticar a empatia e utilizar a escuta ativa.

No início da conversa, manifeste o seu desejo de entender os motivos pelos quais a pessoa está chateada. Faça perguntas para entender o seu ponto de vista sobre o problema e suas principais causas. Evite julgamentos, não concorde nem discorde, simplesmente escute o que está sendo dito. Parafraseie o que ela acabou de falar e pergunte se seu entendimento está correto. Caso não tenha entendido corretamente, peça desculpas, demonstre interesse e reformule suas perguntas para dar a oportunidade do outro explicar novamente.

Quando a pessoa percebe que foi entendida, sua emoção negativa é suavizada.

Dependendo da situação, pode ser útil dizer que você quer pensar melhor sobre o que foi dito e agendar um horário no dia seguinte para discutir o assunto. Isso geralmente ajuda o outro a ganhar mais controle sobre suas emoções. Se as emoções não se suavizarem com tempo e esforço, pode ser aconselhável ajudar o colaborador a ter acesso a um coaching ou terapia.

Além disso, não é fácil lidar com as emoções dos outros, pois as nossas próprias emoções também podem vir à tona. Nesses momentos, manter o controle emocional é essencial ao interagir com alguém com emoções à flor da pele.

Resumindo: para motivar pessoas que estão sob fortes emoções negativas, primeiro cuide do seu controle emocional, depois acolha a pessoa emocionalmente, praticando a empatia e a escuta ativa, e finalmente ajude-a a visualizar as melhores opções para resolver seus problemas.

Mas não se esqueça que seu colaborador pode estar perdendo a motivação por outros motivos, quando você conversar com ele terá uma melhor noção do problema. Caso você esteja lidando com uma pessoa que está com autoestima afetada ou a confiança em si mesma alterada, leia outras dicas no texto: Armadilhas da Motivação #2 – Desequilíbrio da autoconfiança. Por outro lado, caso seu colaborador esteja desmotivado ao realizar algumas tarefas específicas, leia este texto Armadilhas da Motivação #1 - Valores Incompatíveis. Ele irá te ajudar a identificar os valores que seu colaborador possui. Tendo uma melhor visão do que ele valoriza, você conseguirá mostrar como os interesses e valores dele se conectam com a tarefa a ser realizada, o que trará uma motivação mais genuína.

Na próxima semana postaremos o último texto dessa série. Não perca!

Até mais!

Comentários (0)

facebook-squarelinkedin-squarephoneenvelopeinstagrammagnifier