As pessoas se julgam com base em dois critérios quando se encontram pela primeira vez.

Autoconhecimento

Fonte: A Harvard psychologist says people judge you based on 2 criteria when they first meet you
Jenna Goudreau | 16 Janeiro, 2016

As pessoas te analisam em segundos, mas o que exatamente elas estão avaliando?

Amy Cuddy, professora da Harvard Business School, tem estudado as primeiras impressões que causamos nos outros, ao lado dos psicólogos Susan Fiske e Peter Glick, há mais de 15 anos, e descobriu padrões nessas interações.

Em seu livro “O poder da presença”, Amy Cuddy diz que as pessoas respondem rapidamente a duas perguntas quando te conhecem pela primeira vez:

Posso confiar nessa pessoa?

Posso respeitar essa pessoa?

 

Psicólogos se referem a essas dimensões como receptividade (warmth) e competência, respectivamente, e, idealmente, você quer ser percebido como tendo ambos.

Curiosamente, Cuddy diz que a maioria das pessoas, especialmente em um contexto profissional, acredita que a competência é o fator mais importante. Afinal, eles querem provar que são inteligentes e talentosos profissionalmente.

Mas na verdade a receptividade, ou confiabilidade, é o fator mais importante em como as pessoas avaliam você. Sob uma perspectiva evolutiva, Cuddy diz que é mais crucial para nossa sobrevivência saber se uma pessoa merece nossa confiança. Isso faz sentido, quando você considera que, nos dias dos homens das cavernas, era mais importante descobrir se o seu companheiro ia te matar e roubar todos os seus bens do que se ele era competente o suficiente para fazer fogo.

Mas enquanto a competência é altamente valorizada, Cuddy diz que ela é avaliada somente depois que a confiança é estabelecida. Portanto, ao se concentrar muito em exibir sua força, você pode estar perdendo a oportunidade de mostrar que é confiável.

Ela diz que estudantes de MBA, quando estão fazendo estágio estão sempre tão preocupados em parecer inteligentes e competentes que isso pode levá-los a perder eventos sociais, não pedir ajuda e parecerem inacessíveis para seus colegas de trabalho. Esses estagiários acabam sendo pegos de surpresa quando não recebem uma oferta de emprego, pois ninguém chegou a conhecê-los para confiar neles dentro de seus estágios.

Amy Cuddy diz que se alguém que você está tentando influenciar não confia em você, você não vai muito longe. Na verdade, você pode até mesmo suscitar suspeitas, porque você se mostra manipulador. Uma pessoa calorosa e digna de confiança que também é forte provoca admiração. Entretanto somente depois de ter estabelecido confiança é que a força dessa pessoa se torna uma dádiva em vez de uma ameaça.

Comentários